Governo fretará voo para buscar delegação brasileira paralímpica no Equador

A embaixada brasileira no Equador informou que os nove atletas e o treinador voltarão para o Brasil na próxima terça-feira

Publicado em .

A embaixada brasileira no Equador informou que os nove atletas e o treinador voltarão para o Brasil na próxima terça-feira

Campinas, SP, 29 - A delegação brasileira paralímpica recebeu neste domingo a notícia que esperava há 15 dias. A embaixada brasileira no Equador informou que os nove atletas e o treinador voltarão para o Brasil na próxima terça-feira.

"Ainda estou sem acreditar, mas confirmaram hoje pela manhã", comemorou a atleta Cecília Araújo, campeã mundial de natação.

VOO FRETADO

De acordo com comunicado da embaixada, um voo da Gol será fretado para trazer de volta o time e outros brasileiros que estão em situação semelhante no Equador.

Atletas e técnico estavam no Equador em meio à pandemia (Foto: Arquivo pessoal)
Atletas e técnico estavam no Equador em meio à pandemia (Foto: Arquivo pessoal)

"Após exaustivas gestões do Governo federal, foi possível fretar uma aeronave da Gol para a repatriação dos 160 nacionais e estrangeiros residentes no Brasil, que procuraram a Embaixada por estarem retidos em território equatoriano devido às medidas de segurança adotadas em face da pandemia do novo coronavírus."

O técnico Antônio Luiz Duarte Cândido comentou ao Estado o sentimento de poder voltar para casa. "Ao sabermos da data sentimos um alívio e nos prepararemos para o regresso, obedecendo as normas estabelecidas pela equipe médica", disse. "Estamos bem dentro do possível. E que todos os brasileiros que estão na mesma situação que nós, possam regressar ao país para cumprir a quarentena em suas casas, com o conforto do lar", complementou.

PREPARAÇÃO

A delegação faz parte da equipe de Indaiatuba de natação. Eles desembarcaram em Cuenca no início do mês para iniciar treinamento específico na altitude de 2,5 mil metros.

A intenção era melhorar o preparo físico do time de olho na seletiva que começaria na última quinta-feira. No dia 13, a competição foi cancelada por causa da pandemia do novo coronavírus. No dia seguinte, o Equador fechou o aeroporto nacional. Desde então, os atletas tentam retornar ao Brasil.

O treinador procurou o Comitê Paralímpico Brasileiro e a embaixada do Brasil no Equador. No último sábado, a delegação conseguiu deixar Cuenca de ônibus e foi para um hotel em Quito.

Na terça-feira, o governo brasileiro autorizou que um avião da Força Aérea Brasileira fizesse o resgate, mas ainda sem precisar uma data de retorno. Neste domingo, a embaixada comunicou que a volta ao País será por meio de um voo fretado da gol.