Tiago Caetano: Agressividade é a marca do São Paulo nos 3 meses iniciais

Mais consistente taticamente, o Tricolor está criando mais chances de gols, além de nomes como Tchê Tchê e Pato voltarem a brilhar

por TIAGO CAETANO - Campinas

Campinas, SP, 29 (AFI) - Com a pausa do futebol por conta da pandemia do coronavírus, paramos para fazer uma reflexão sobre o início da temporada do São Paulo.

A direção do Tricolor optou por manter no cargo o técnico Fernando Diniz, apesar de parte da torcida contestar seu trabalho.

Outro setor que também não teve grandes alterações foi o grupo de jogadores. Sendo assim, o departamento de futebol são-paulino não sofreu mudança comparado ao do ano passado.

O QUE MUDOU?

É evidente que o rendimento da equipe não foi satisfatório em 2019 e mudanças eram necessárias.

O início do ano foi de oscilações. Porém, o time passou a ter um padrão tático mais bem definido, com algumas variações saindo do 4-3-3 para um 4-1-4-1. Além do desenho tático a, funcionalidade da equipe foi ajustada, passando a ser mais vertical, apesar de ser um time de muita posse de bola.

Foto: Paulo Pinto / saopaulofc.net
Foto: Paulo Pinto / saopaulofc.net

Essa nova maneira de atuar proporcionou ao time uma característica muito interessante, algo que faltava na equipe, mais agressividade. O São Paulo se tornou um time que cria mais chances de gols.

EVOLUÇÃO DOS JOGADORES

Com essa nova postura do Tricolor, nomes como do Reinaldo, Tchê Tchê, Daniel Alves e do atacante Alexandre Pato deixaram de ser contestados para ser peças fundamentais no elenco.

Isso tudo porque evoluíram na atual temporada. Portanto o São Paulo é mais competitivo até o momento e, sim, ainda necessita ser mais constante durante as partidas, aumentar o nível de concentração e crescer fisicamente.

Não sabemos quando irá voltar o futebol e se essa pausa vai afetar muito neste processo de evolução do time.

TIAGO CAETANO
Veja perfil completo
Veja todos