A roda está pegando e tem gente brincando

A roda está pegando e tem gente brincando

por ARIOVALDO IZAC - - - Campinas

Últimas postagens tenho sugerido debate profundo sobre consequências do coronavírus no futebol, com efeitos econômicos imprevisíveis aos clubes.

Aí, a Federação Paulista de Futebol repassa informação recebida da TV Globo de suspensão do pagamento da verba dos direitos de transmissão de jogos do Campeonato Paulista, com justificativa da paralisação em decorrência da pandemia do coronavírus.

Mês de março foi salvo, visto que dia 15 é data acordada para que ela efetue o pagamento.

Como ficam os cofres dos clubes a partir de abril?

Receita zero de televisão, zero de bilheterias, patrocinadores no uniforme rompendo contratos, sabe-se lá se anunciantes de placas estáticas nos estádios vão honrar compromissos, e certamente a inadimplência de programas sócio-torcedor será alta.

Isso não é motivo de preocupação?

CRISE ECONÔMICA

O futebol será sim duramente atingido em crise econômica sem precedentes que se avizinha.

E toda cadeia que envolve o futebol não passa incólume. Demissões já começam atingir profissionais de veículos de comunicação e certamente vão se estender a trabalhadores de lojas do gênero e fornecedores de uniformes.

Centenas de informais que montam barraquinhas de guloseimas e bebidas nas cercanias de estádios já estão afetados.

Diante deste cenário, precisam informar torcedores desavisados que folha salarial de jogadores, membros de comissão técnica, funcionários e boletos diversos estão aí.

Qual a varinha mágica que faça aparecer dinheiro?

Pois uns e outros torcedores não acordaram para essa realidade e optam por tergiversar e até brincar com outros assuntos.

SARRINHO

Natural se prever que após a maiúscula vitória de virada no dérbi o bugrino fosse à forra e descontasse o sarrinho que aguentou do pontepretano por longo período.

Passou, gente. Não seja insensível. Há algo mais importante a se preocupar, até porque fica tudo no escuro sobre como cada clube vai reagir quando passar a crise.

Se a CBF havia programado iniciar nesta quarta-feira discussão com federações para adaptar calendários dos estaduais e projeção para o Brasileiro, a iniciativa foi adiada para a próxima semana.

ARIOVALDO IZAC - -
Jornalista esportivo há 35 anos. Trabalhou, como jornalista, nas emissoras de Rádio Brasil, Educadora, Central, Jequitibá e Capital (São Paulo). Nos jornais: Diário do Povo e Jornal de Domingo, ambos de Campinas, e editor de Economia e Opinião do Jornal Todo Dia, de Americana.
Veja perfil completo
Veja todos