Palmeiras eliminava o Corinthians da Libertadores há 20 anos

Há 20 anos, ‘São Marcos’ era ainda mais santificado pela torcida palmeirense ao defender o pênalti de Marcelinho Carioca

por Federação Paulista (FPF)

São Paulo, SP, 06 - Na década de 1990, Palmeiras e Corinthians protagonizaram clássicos emocionantes nas mais variadas competições. No fim da década, os embates aflorados pelo Campeonato Paulista e Libertadores apimentaram ainda mais a histórias entre os clubes. E há exatos 20 anos, ‘São Marcos’ era ainda mais santificado pela torcida palmeirense ao defender o pênalti de Marcelinho Carioca e garantir a vaga na final da competição sul-americana.

Após 4 a 3 em favor do Corinthians no primeiro encontro entre os clubes, o Alvinegro tinha a vantagem de jogar pelo empate para ficar com a vaga. Já o Palmeiras tinha a necessidade de vencer por dois ou mais gols para se classificar diretamente, ou devolver a diferença mínima para levar a disputa aos pênaltis.

Quando a bola rolou...
O Palmeiras saiu em vantagem com gol de Euller, o ‘Filho do Vento’, aos 34 minutos do primeiro tempo. Após cruzamento de Júnior, o camisa 7 dominou no peito e bateu cruzado para superar Dida. Cinco minutos mais tarde, Luizão deixou tudo igual. Sozinho na pequena área, o centroavante corintiano se aproveitou de cobrança de Marcelinho Carioca e levou a igualdade para o intervalo.

Na volta para o segundo tempo, o cenário era o seguinte: o Palmeiras precisava buscar a vitória enquanto o Corinthians tinha 45 minutos para segurar o placar e confirmar a vaga. Mas a etapa derradeira foi digna de grandes momentos fazendo jus ao Dérbi.

Logo aos sete minutos, Edílson fez grande jogada pela ponta esquerda e cruzou para a entrada da área. Luizão, que ainda se recuperava de uma pancada sofrido momentos antes, se aproveitou e bateu de pé esquerdo para superar Marcos e Roque Júnior, aumentando a vantagem alvinegra, e chegando ao seu 14º tento naquela edição.

Aos 15, o Palmeiras respondeu na mesma moeda. Euller fez jogada individual pela ponta esquerda e cruzou para trás. O meia Alex bateu de primeira e encobriu o ‘mar’ de defensores corintianos para igualar o marcador e recolocar o time palmeirense na disputa novamente. Aos 26, a virada alviverde aconteceu quando Alex cobrou falta e a bola cruzou toda a extensão da área alvinegra até achar a cabeça do agachado Galeano, capitão palestrino após a saída de César Sampaio.

A partir daí o jogo passou a ser ainda mais tenso, com poucas oportunidades para ambos os lados, fazendo com que a disputa da vaga fosse definida em cobranças de penalidades máximas, assim como nas quartas de final de 1999, quando o Palmeiras levou a melhor.

São Marcos
Na disputa de pênaltis, o Palmeiras iniciou a série com Marcelo Ramos, que bateu no canto esquerdo e deslocou Dida para inaugurar o placar. Em seguida, Ricardinho inverteu o lado e também ludibriou Marcos igualando a disputa. Roque Júnior foi o segundo batedor alviverde assim como Marcelo Ramos marcou o seu. Outro defensor, Fábio Luciano, bateu com categoria e deslocou o arqueiro palestrino.

O camisa 10 Alex foi o encarregado pela terceira tentativa pelo time de Scolari e bateu no canto esquerdo rasteiro de Dida, que tentou, mas não evitou. O canhoto Edu, revelação corintiana, deslocou Marcos e igualou. O colombiano Asprilla cobrou forte no canto direito de Dida e marcou o quarto, assim como Índio, que bateu do mesmo lado.

Restava um pênalti para cada lado e Júnior foi o responsável por encerrar a série para o Palmeiras. O lateral bateu no centro do gol e anotou o 100% para os palmeirenses. Então chegou a vez de Marcelinho Carioca, exímio jogador na bola parada.

O camisa 7 cobrou firme, no canto direito de Marcos, que se esticou todo e impediu o tento rival, confirmando a vaga à decisão pelo segundo ano consecutivo, eliminando o rival e escrevendo o seu nome na galeria de ídolos palestrinos. Na decisão, o Palmeiras foi superado pelo Boca Juniors-ARG, nos pênaltis, no próprio estádio do Morumbi.

Ficha técnica:
Palmeiras 3 (5) x 2 (4) Corinthians – Taça Libertadores - Semifinal
Local:
estádio do Morumbi, em São Paulo;
Data: 06 de junho de 2000;
Público: 70.000;
Árbitro: Edílson Pereira de Carvalho (BRA);
Gols: Euller-PAL, aos 34´, e Luizão-COR, aos 39´ do 1º T; Luizão-COR, aos 7´, Alex-PAL, aos 14´, e Galeano-PAL, aos 26´do 2º T.
Pênaltis: Marcelo Ramos, Roque Júnior, Alex, Asprilla e Júnior (PAL); Ricardinho, Fábio Luciano, Edu e Índio (COR); Marcelinho (COR) desperdiçou.

Palmeiras: Marcos; Rogério, Argel, Roque Júnior e Júnior; César Sampaio (Tiago), Galeano e Alex; Pena (Luiz Cláudio), Marcelo Ramos e Euller (Asprilla). Técnico: Luiz Felipe Scolari.

Corinthians: Dida; Daniel (Índio), Fábio Luciano, Adílson e Kléber; Vampeta, Edu, Marcelinho e Ricardinho; Edílson e Luizão (Dinei). Técnico: Oswaldo de Oliveira.

Por Luiz Minici