Goiano: Redução salarial é rejeitada por jogadores de Goiás, Atlético e Vila Nova

A informação é do advogado do Vila Nova, Maurilho Teixeira, que concedeu entrevista à Rádio Sagres, de Goiânia

por Agência Futebol Interior

Goiânia, GO, 31 (AFI) - O Sindicato dos Atletas Profissionais do Estado de Goiás (Sinapego) rejeitou a proposta feita por Goiás, Atlético-GO e Vila Nova para reduzir em 50% os salários dos atletas. A informação é do advogado do Vila Nova, Maurilho Teixeira, que concedeu entrevista à Rádio Sagres, de Goiânia.

Nós entendemos que deve ser esse percentual (50%), pela dificuldade que estão passando os clubes de Goiás, principalmente o Vila Nova, já que não tem cota de televisão e depende do patrocínio de alguns que já estão comunicando a suspensão.

Atlético e Goiás também têm as suas e elas foram colocadas de maneira bem clara. Me parece que não está tendo essa facilidade de entendimento por parte do sindicato, infelizmente o diálogo com os clubes está diminuindo e se não tiver uma mudança nesse pensamento por parte do sinapego, teremos que agir como manda a legislação”, afirmou Maurilho.

A PROPOSTA

Os três clubes da capital queriam cortar 50% do salário dos atletas pelos próximos dois meses e ainda suspender contratos se a paralisação continuar. Quando a bola voltar a rolar, ainda de acordo com a proposta, os clubes retomariam os contratos e prorrogariam pelo mesmo período que ficaram suspensos.

Segundo o advogado do Vila Nova, a tendência agora é de que os clubes comecem a negociar individualmente, sendo possível reduzir os salários em ao menos 25%. Isso porque a proposta inicial foi rejeitada e não houve contraproposta.