Fla defende volta aos treinos e promete apoio a médico questionado por conselho

Em sua nota, o Flamengo reitera que tem feito exames de coronavírus com frequência em seus funcionários

por Agência Estado

Rio de Janeiro, RJ, 28 (AFI) - O Flamengo divulgou nesta quinta-feira uma nota oficial em que defende a abertura parcial do seu CT, o Ninho do Urubu, para a realização de treinos durante a pandemia do coronavírus.

O clube afirma que avaliou o decreto municipal sobre a realização de treinos e entendeu que as atividades são legais, pois estaria respeitando as medidas de isolamento social.

"Ao analisar o Decreto Municipal nº 47.282/2020, inclusive com a obtenção de parecer jurídico externo, constatamos não haver vedação legal ou impedimento específico ao funcionamento de um centro privado de treinamento do futebol", diz o clube.

"O Flamengo entende que as atividades desenvolvidas estão aderentes às normas de segurança à saúde exigidas pela Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro, previstas no citado decreto, dentre outras, afastamento mínimo de dois metros, contingente mínimo de profissionais trabalhando, uso de máscaras e de álcool em gel, etc.", afirma o clube.

De volta ao Ninho do Urubu. (Foto: Flamengo / Divulgação)
De volta ao Ninho do Urubu. (Foto: Flamengo / Divulgação)
ANTES DA HORA?
Ainda que sem a liberação da Prefeitura do Rio, o Flamengo iniciou atividades no campo do Ninho do Urubu na semana passada, o que acabou sendo liberado apenas após uma reunião no último domingo. Agora, então, também declara esperar que os trabalhos coletivos sejam liberados em breve pelas autoridades.

"O Flamengo afirma que aguardará, respeitosamente, a retirada da restrição do distanciamento para os treinamentos coletivos, com os cuidados e procedimentos cabíveis, pelas autoridades competentes e que seguirá à disposição destas para prestar todo e qualquer esclarecimento necessário", diz.

PROTOCOLOS!
Em sua nota, o Flamengo reitera que tem feito exames de coronavírus com frequência em seus funcionários.

"Estamos testando exaustivamente atletas e funcionários, para saber se há alguém infectado pelo coronavírus, com a adoção das medidas de estilo para o caso positivo, como já informado. Ou seja, o Flamengo está fazendo mais do que obriga a legislação pertinente, como forma de proteger ao máximo seus colaboradores", comenta.

O clube também saiu em defesa do seu médico, Marcio Tannure, que se tornou alvo de investigação pelo Conselho de Medicina do Estado do Rio de Janeiro (Cremerj), que lhe pediu explicações sobre a retomada das atividades no Ninho do Urubu.

RETAGUARDA!
O Cremerj é contra a realização das atividades e notificou os médicos dos clubes participantes do Campeonato Carioca, indicando a possibilidade de cassar o registro profissional daqueles que derem aval aos treinos dos times.

"Informamos que o clube irá auxiliar o Dr. Márcio Tannure, chefe do Departamento Médico de Futebol do Flamengo, no esclarecimento de todos os questionamentos do Cremerj para sanar quaisquer dúvidas porventura existentes", afirma o Flamengo.