ESPECIAL SÉRIE B: Bragantino nada de braçadas e Figueirense faz "milagre"

Além do Braga, Sport, Coritiba e Atlético-GO subiram para a elite, enquanto Londrina, São Bento, Vila Nova e Criciúma foram rebaixados

por Agência Futebol Interior

Campinas, SP, 03 (AFI) - Sem a presença de nenhum dos chamados "grandes", o Campeonato Brasileiro da Série B tinha tudo para ser equilibrado, inclusive com o título decidido nas últimas rodadas. TINHA. Isso porque o Bragantino surpreendeu e dominou do início ao fim, sendo campeão com sobras.

Além do Massa Bruta, o Sport também conquistou o acesso para a elite do futebol brasileiro com certa facilidade. Já as outras vagas foram decididas apenas na última rodada. O Coritiba não vacilou e subiu em terceiro, enquanto o Atlético-GO ficou com a quarta colocação graças a "pipocada" do América-MG.

Em relação ao rebaixamento, Figueirense e Guarani caminhavam a passos largos rumo a Série C, mas conseguiram escapar com boas arrancadas. Pior para Criciúma, Vila Nova, São Bento e Londrina, que terminam com as quatro piores campanhas. Todos eles, inclusive, tiveram a mesma pontuação nas 38 rodadas.

Bragantino sobrou ao longo do campeonato e se sagrou bicampeão da Série B
Bragantino sobrou ao longo do campeonato e se sagrou bicampeão da Série B
DO INÍCIO AO FIM!
Graças a parceria feita com o Red Bull Brasil ainda na reta final do Campeonato Paulista, o Bragantino entrou na Série B como um dos candidatos ao acesso, por ter um dos maiores orçamentos de todo o campeonato. Por isso, sua presença na elite não é nenhuma surpresa. Mas o que ninguém esperava é que seria tão fácil.

Liderado por Claudinho (ex-Corinthians e Ponte Preta) e Ytalo (ex-São Paulo), além de contar com um elenco homogêneo, o time comandado por Antônio Carlos Zago teve uma campanha praticamente perfeita. Em 38 jogos, foram 22 vitórias, nove empates e sete derrotas - nenhuma em Bragança Paulista -, além de marcar 64 gols e sofrer 27.

O título não poderia ter ido para outro clube. Com a vitória sobre o São Bento, por 2 a 0, na sétima rodada, o Bragantino assumiu a ponta para não sair mais. O grande marco foi na 11ª rodada, quando o Massa Bruta recebeu a Ponte Preta em um confronto direto pela liderança. A Macaca abriu 1 a 0 no primeiro tempo e Wesley foi expulso no começo da etapa final. Mesmo com um a menos, o time de Bragança Paulista conseguiu a virada.

DISPUTA BOA
Quem também não precisou sofrer muito para conquistar o retorno à elite um ano depois de ter sido rebaixado foi o Sport. Comandado por Guto Ferreira e contando com a dupla Guilherme/Hernane Brocador, que juntos marcaram 31 dos 49 gols do time no campeonato, o Leão ficou na vice-liderança, com 68 pontos.

As outras duas vagas do G4 só foram preenchidas na última rodada. Dependendo apenas das suas próprias forças, o Coritiba foi até Salvador e venceu o Vitória, por 2 a 1, de virada, ficando na terceira colocação, com 66 pontos.

Sport foi outro que comemorou o acesso para a elite do Brasileirão
Sport foi outro que comemorou o acesso para a elite do Brasileirão
A emoção ficou mesmo para a quarta vaga. América-MG e Atlético-GO chegaram empatados com 61 pontos, mas o Coelho estava na frente por causa do número de vitórias. E a missão do time mineiro era mais simples, pois receberia o já rebaixado São Bento, enquanto o Dragão enfrentava o Sport, em Goiânia.

No Estádio Antônio Accioly, o Atlético-GO ficou no empate sem gols com o Leão da Ilha, mas comemorou o acesso graças a "pipocada" do América-MG. Diante de 20 mil pessoas na Arena Independência, o Coelho criou inúmeras chances. No entanto, acabou sendo derrotado pelo São Bento, por 2 a 1.

Alguns times que ninguém esperava chegaram na reta final do campeonato ainda brigando pelo acesso, como Cuiabá, Botafogo e Operário. Por outro lado, a grande decepção foi a Ponte Preta. Depois de brigar pela liderança durante o primeiro turno, a Macaca fez um segundo turno irreconhecível sob comando de Gilson Kleina e terminou na modesta 11ª colocação, com 47.

MILAGRE DO FIGUEIRA E REBAIXADOS
Talvez a grande história desse campeonato, depois do Bragantino, seja a do Figueirense. Após um grande início, inclusive brigando pelas primeiras colocações, o Figueira passou a conviver com atrasos salariais por conta da parceria mal feita com a empresa Elephant, que comandava o futebol do clube desde agosto de 2017.

O presidente Cláudio Honigman não dava satisfação ao elenco, que por sua vez perdeu a paciência e começou a fazer greve nos treinamentos. A gota d'água veio no dia 20 de agosto, pela 17ª rodada. Os jogadores se recusaram a entrar em campo contra o Cuiabá e o Figueirense perdeu de W.O.

Figueirense fez história ao escapar do rebaixamento diante de tantos problemas extra-campo
Figueirense fez história ao escapar do rebaixamento diante de tantos problemas extra-campo
Pouco depois, aconteceu o distrato com a Elephant. Mas parecia ser tarde demais. O clube ficou 18 rodadas sem conquistar uma vitória e caiu para a lanterna. Seu rebaixamento era dado como certo. No entanto, uma arrancada na reta final sob o comando de Pintado garantiu o Figueira na Série B de 2020. Destaque também para a torcida, que abraçou o time após a saída da empresa.

Outro clube que era dado como virtual rebaixado e conseguiu escapar foi o Guarani. O time campineiro sofreu com a crise política, que resultou na renúncia do presidente Palmeron Mendes Filho, e amargou várias rodadas na zona de rebaixamento. Mas o Bugre conseguiu escapar graças ao trabalho de Thiago Carpini. Foram oito vitórias, quatro empates e sete derrotas sob o comando do interino, que foi efetivado e teve o contrato renovado para 2020.

Diferente de Guarani e Figueirense, quatro times não conseguiram reagir no campeonato a amargaram o rebaixamento para a Série C do Brasileiro. Vila Nova, Criciúma, São Bento e Londrina terminaram com as piores campanhas da Série B. Todos eles, inclusive, somaram 39 pontos em 38 jogos.

DESTAQUE E ARTILHARIA

O grande destaque do Brasileiro da Série B de 2020 atende pelo nome de Claudinho. Revelado no Corinthians e com passagem apagada pela Ponte Preta, o meia de 22 anos foi disparado o melhor jogador do campeonato e caiu nas graças da torcida do Bragantino. Além dos nove gols e das 11 assistências, o camisa 10 chamou a atenção pelos lances de efeito. Não é a toa que o Cruzeiro demonstrou interesse na sua contratação ao longo da temporada.

Já a artilharia da Série B ficou com Guilherme. Emprestado pelo Grêmio, o atacante balançou as redes adversárias 17 vezes, seguido de perto por Fábio (Oeste), que marcou 15 gols. Logo atrás, com 14, ficaram Hernane Brocador (Sport), Léo Ceará (CRB), Zé Roberto (São Bento) e Roger (Ponte Preta).